“Todos os povos do mundo devem reconciliar suas diferenças e, em paz e união perfeitas, se abrigar à sombra da Árvore de Seu cuidado e Sua benevolência.”

- Bahá'u'lláh

Relações Harmoniosas

A maturidade da humanidade é caracterizada pelo reconhecimento da unicidade dos seres humanos e pela expressão desse princípio em ação. O novo estágio do qual a humanidade se aproxima deve basear-se na unidade na  diversidade e em relações cooperativas e harmoniosas entre indivíduos, instituições e comunidades.

Explorando este assunto

A construção da unidade em uma sociedade diversa não pode estar baseada na imposição ou no uso da violência de qualquer tipo, tampouco implica uniformidade. Ao invés de construir barreiras e separações entre os diferentes segmentos da sociedade, é preciso conectá-los e fortalecer suas relações inerentes de interdependência. Em um ambiente de cooperação, o exercício de poder sobre os outros pode ser substituído por esforços que liberam os poderes do espírito humano – poderes do amor, do perdão, do serviço abnegado, da justiça e da ação unificada.

Para que uma mudança dessa natureza ocorra, é necessário que os arranjos institucionais da sociedade habilitem todas as pessoas a participar e a oferecer sua contribuição a um processo de aprendizagem coletivo para a construção de uma sociedade unida e justa. 

​Em um processo como esse, assim como em qualquer empreendimento coletivo, o êxito está relacionado à capacidade de consultar e de dialogar. O propósito dessa consulta não deve ser apenas tomar decisões – embora isso seja importante - mas também ser um meio para explorar diferentes perspectivas, para fortalecer os laços de confiança e amor, para receber e considerar novas percepções sobre questões complexas e para promover a ação sistemática. Com diferentes níveis de formalidade, o princípio da consulta pode caracterizar a vida de famílias, iniciativas comunitárias, instituições e sociedades inteiras.