• bahai_brasil

"Uma Governança Adequada”: BIC lança declaração na véspera do 75º aniversário da ONU


BIC NOVA YORK, 22 de Outubro de 2020 - A Comunidade Internacional Bahá'í (BIC) lançou uma declaração na véspera do 75º aniversário das Nações Unidas, convidando funcionários da ONU, embaixadores de Estados membros, organizações não governamentais e outros atores sociais para explorar temas relativos ao movimento da humanidade em direção à paz universal.


A Comunidade Internacional Bahá'í (BIC) lança uma declaração na véspera do 75º aniversário das Nações Unidas

A declaração A Governance Befitting: Humanity and the Path Toward a Just Global Order" (Uma Governança Adequada: A Humanidade e o Caminho para uma Ordem Global Justa), no breve período desde sua publicação em setembro, já começou a estimular reflexão profunda e discussão cuidadosa sobre o papel das estruturas internacionais.

Comentando a declaração, H.E. Alvaro Albacete, Embaixador da Espanha e Secretário-Geral Adjunto do KAICIID, diz: “A ideia de coalizões globais está muito embutida na [declaração]... Quero prestar homenagem a atores muito importantes para forjar coalizões globais, não apenas os Estados membros da ONU. E quero me concentrar na importância dos atores religiosos na formação dessas coalizões globais. Seu papel é muito importante em áreas como: desenvolvimento, educação, saúde e assim por diante."


H.E. Alvaro Albacete, Embaixador da Espanha e Secretário-Geral Adjunto do KAICIID comenta a declaração

“Hoje, na ONU, contamos com um órgão muito inovador que é o "Multi-Faith Advisory Council” (Conselho Consultivo Multi-Religioso). É o primeiro passo para que as vozes religiosas sejam ouvidas nas Nações Unidas. E acontece que esse órgão é presidido pela comunidade Bahá'í e sua representante, Bani Dugal. Quero parabenizar a Comunidade Bahá'í pelo bom trabalho que está realizando por meio desse importante órgão das Nações Unidas ”.

Azza Karam, Secretária-Geral do Religiões pela Paz, disse sobre a declaração: “Uma fala poderosa sobre o momento do agora e sobre as necessidades de cada ser humano nesta terra e de cada instituição”. Ela continua: “Estou particularmente impressionada com a forma como a declaração é clara, articulada e eloqüente sobre a necessidade de... nos unirmos. A Fé Bahá'í sempre me inspirou a compreender algo que é fundamental para todas as tradições de fé ao redor do mundo: o reconhecimento... do fato de que somos todos um só. … Nossa sobrevivência neste planeta, a sobrevivência do planeta, é fundamentalmente dependente de se conseguiremos ou não internalizar este simples fato em nossos sistemas. Nós prosperamos quando somos um. Nós nos autodestruímos quando acreditamos que nossas fronteiras são importantes.”

Fergus Watt, do grupo de coordenação da campanha da ONU 2020, diz que a declaração “enfoca algumas das tendências internacionais mais amplas que estão animando o progresso humano em direção a uma comunidade mundial”.

O Sr. Watt destaca como o conceito de unidade apresentado na declaração “abrange a diversidade de tradições nacionais, jurídicas, culturais e políticas, mas está situado em uma base ética que nos lembra dos valores compartilhados que são intrínsecos aos seres humanos em todos os lugares: um reconhecimento da interdependência, uma ética compartilhada de justiça e um reconhecimento de que a humanidade é uma só.

“A declaração também reconhece que a transformação que está em curso é um processo gradual, é um processo construído passo a passo, mas que, a cada passo dado, torna o próximo possível.”

Sovaida Ma’ani Ewing, do Centro para a Paz e Governança Global, afirma: “Estamos nos tornando conscientes de que ser um só organismo nos torna abertos aos desafios globais. Mas percebemos que carecemos exatamente das estruturas globais de tomada de decisão necessárias para enfrentar esses problemas. É por isso que novas estruturas, como um órgão internacional eleito diretamente, são necessárias”.

Richard Ponzio, Diretor do Programa Just Security 2020 (Segurança Justa 2020) do Stimson Center, destaca a noção de uma ética cívica global mencionada na declaração como essencial para a construção de maiores níveis de cooperação internacional, afirmando: “Todo mundo tem sua própria definição de uma ética cívica global. É ótimo ver que ‘Uma Governança Adequada" faz referência a isso, e como nenhuma publicação com esse escopo e significado, nos desafia a nos unirmos e construirmos não apenas uma estrutura global, instituições, normas e ferramentas para responder aos desafios [globais], mas também a termos princípios éticos e morais que sustentem essas instituições. Isso está no cerne de uma ética cívica global.”

A BIC está olhando para o futuro, vendo o próximo quarto de século - estendendo-se do 75º aniversário das Nações Unidas até seu centenário - como um período crítico para determinar o destino da humanidade.

A BIC está olhando para o futuro, vendo o próximo quarto de século - estendendo-se do 75º aniversário das Nações Unidas até seu centenário - como um período crítico para determinar o destino da humanidade. O evento de lançamento, que recebeu cerca de 200 participantes de todo o mundo, foi um convite para uma exploração mais profunda e uma das muitas contribuições que a BIC está fazendo para as discussões sobre a necessidade de fortalecer os sistemas de cooperação globais.

Bani Dugal, a Principal Representante da Comunidade Internacional Bahá'í, declara: “Esperamos que este seja o início de uma série de conversas que farão parte de um movimento de mudança que nos levará ao centenário da ONU como uma ordem mundial muito mais evoluída, caracterizada pela igualdade, unidade, uma paz duradoura e uma compreensão entre os governos e os povos do mundo. Os próximos 25 anos são de uma importância crítica para a vida da humanidade. ”


Fonte: Bahá'í World News Service, original em inglês disponível aqui

31 visualizações

info@bahai.org.br

(+55 61)3255-2200

  • Facebook - White Circle
  • Branca ícone do YouTube