• Comunidade Internacional Bahá'í

EXPOSTO: propaganda descarada do Irã para incriminar os bahá'ís com vídeo falso e discurso de ódio


Bahá'ís em todo o Irã têm enfrentado intensificação na perseguição nas últimas semanas - dentre os quais esse ataque por propaganda como um dos exemplos.

Genebra– 19 de Agosto de 2022 –


A Comunidade Internacional Bahá'í (BIC) recebeu notícias de uma chocante e escandalosa forma de propaganda utilizada como tática para incriminar os bahá'ís no Irã por meio de um vídeo encenado e filmado em um jardim de infância.


Em 31 de julho, no mesmo dia em que agentes de inteligência estavam invadindo casas de bahá'ís e prendendo professores de pré-escola, os agentes também entraram em uma escola de jardim de infância em uma das cidades centrais do Irã e distribuíram livros e panfletos bahá'ís para os professores, os quais nenhum deles era bahá'í. Após isso, os agentes instruíram e forçaram os funcionários do jardim de infância a falar, em frente às câmeras, que foram os bahá'ís que trouxeram esses materiais e distribuíram aos professores. “Esse vergonhoso ato de fraude e falsidade, feito em um jardim de infância, mais uma vez revela os verdadeiros motivos do governo iraniano em perseguir os bahá’ís somente por sua fé” diz Simin Fahandej, representante da BIC nas Nações Unidas em Genebra. “Como o governo iraniano não encontrou nenhum fragmento de evidência para suas absurdas acusações contra os bahá'ís, eles têm recorrido à produção de provas, utilizando materiais bahá'ís para acusar bahá'ís de tentar influenciar e converter crianças muçulmanas à Fé Bahá'í.”


Embora o governo iraniano tente retratar os bahá'ís como os que convertem crianças muçulmanas, vários documentos oficiais governamentais provam que os planos do Irã é que são, de fato, converterem crianças bahá'ís ao Islã.


Em 1991, o memorando confidencial do governo, posto à luz naquele momento por um Relator Especial das Nações Unidas, preparado pelo Supremo Conselho Cultural Revolucionário do Irã e assinado pelo Líder Supremo Aiatolá Ali Khamenei, instruindo que crianças bahá'ís devem ser matriculadas em escolas que tenham “ideologia religiosa fortemente imposta” e que bahá'ís devem ser tratados de tal maneira que seu “progresso e desenvolvimento sejam bloqueados”.


“O governo iraniano não somente tentou distorcer a história em livros escolares com o fim de tirar a Fé Bahá'í da história iraniana, e forçar crianças bahá’ís a mudarem sua fé,” continuou a Sra. Fahandej. “Mas, agora está produzindo materiais falsos para ampliar suas alegações já infundadas contra os bahá'ís”.


Esse incidente ocorreu em um contexto mais amplo de ataques crescentes contra os bahá'ís no Irã nas últimas semanas. Desde 31 de Julho, a BIC recebeu relatos de mais de 169 incidentes distintos de perseguição contra os bahá'ís no Irã, incluindo aprisionamentos, detenções, confisco de casas e propriedades, fechamento de negócios e exclusão de universidade.


O Ministério da Inteligência do Irã divulgou um pronunciamento sem precedentes em 31 de julho, no qual alegou-se que membros da comunidade bahá'í estavam “disseminando os ensinamentos do colonialismo bahá’í fabricado e se infiltrando em ambientes educacionais”, incluindo jardins de infância. Um número de professores bahá'ís de jardins de infância e de pré-escola foram presos naquele dia sob o pretexto dado pela declaração do Ministério. Filmar encenações agora demonstra também que as autoridades querem potencialmente usar imagens de vídeos para fundamentar suas falsas alegações e incitar o público geral contra elas.


Esforços para disseminar propaganda de ódio contra os bahá'ís é política do governo. O memorando de 1991 do Supremo Conselho Cultural Revolucionário também diz que "instituições de propaganda [do Irã]… devem estabelecer uma seção independente para combater… os bahá'ís”.


E em março de 2021, dois grupos de direitos humanos, a Liga para a Defesa dos Direitos Humanos no Irã e a Federação Internacional de Direitos Humanos, publicou uma diretiva oficial iraniana que instruia as autoridades locais na cidade de Sari, na província nortista de Mazandaran, para “realizar controles rígidos" aos bahá'ís na cidade “monitorando suas atividades,” e colocar medidas para "identificação dos estudantes bahá'ís" a fim de “trazê-los ao Islã.”


“As autoridades iranianas têm espalhado propaganda de ódio contra os bahá'ís por 43 anos” diz a Sra. Fahandej. Mas os iranianos de boa vontade, que chegam aos milhões, veem para além dessas mentiras. O incidente no jardim de infância é uma das mais recentes e vergonhosas ladainhas de mentiras descaradas, propaganda e discurso de ódio, mas esses esforços não passarão despercebidos pela comunidade internacional e somente trabalham em desfavor aos interesses iranianos, mostrando os verdadeiros motivos de perseguir pessoas inocentes apenas para seus benefícios."



Fonte: Comunidade Internacional Bahá'í. Original em inglês aqui.


9 visualizações