Rita Izsák é recebida na Sede Nacional Bahá'í

Noticias / Rita Izsák é recebida na Sede Nacional Bahá'í

Rita Izsák é recebida na Sede Nacional Bahá'í

Hoje (23) pela manhã Rita Izsák, Relatora Especial das Nações Unidas sobre Minorias, esteve na Sede Nacional Bahá’í em Brasília para ouvir a sociedade civil, a fim de identificar e avaliar as principais questões que enfrentam as minorias étnicas, religiosas e linguísticas no país.

Durante sua estada no Brasil a relatora também passou pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, na expectativa de conversar com diversos atores, de forma a considerar não apenas os desafios atuais, mas também para identificar iniciativas positivas tomadas pelo governo, pela sociedade civil e pelos líderes comunitários, com o objetivo de promover a união, a não discriminação, a paz e a compreensão entre os grupos. Após sua visita, a Relatora Especial apresentará um relatório detalhado com suas conclusões e recomendações ao Governo e ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em março de 2016.

Além da Comunidade Bahá’í, a reunião contou com a participação de representantes da Umbanda e do Candomblé, da URI (Iniciativa das Religiões idas), do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), da AMB (Articulação de Mulheres Brasileiras) e outras organizações da sociedade civil. Rita ouviu relatos de diversos casos de intolerância religiosa, principalmente contra as religiões de matrizes africanas, além de casos de violência contra mulheres, negros, indígenas e quilombolas. Outro tema bastante abordado foi a relação entre Estado e religião e o quanto isso pode prejudicar as minorias religiosas e a própria democracia.

A relatora ouviu os participantes e ressaltou a importância dos grupos mais vulneráveis se mobilizarem e usarem o relatório da ONU como ferramenta de empoderamento. “O poder desse tipo de reunião é que todos se escutam e dialogam. Gostaria de estimular vocês a manterem esse tipo de encontro. Nós da ONU vamos continuar tentando pressionar o governo, mas isso é desafiador. É importante que os movimentos se juntem e usem os relatórios da ONU como base para exercer pressão”, ressaltou Rita.

Mary Aune, da Comunidade Bahá’í, destacou a importância de espaços de diálogo. “Precisamos trabalhar não apenas o pilar de garantia de Direitos Humanos (que são as leis) mas também o da promoção e o da reparação do direito violado. A busca pela justiça exige que vejamos com nossos próprios olhos e ouçamos com nossos próprios ouvidos, como orienta Bahá'u'lláh, Fundador da Fé Bahá’í.”

Rita Izsák foi nomeada Especialista Independente sobre as questões das minorias pelo Conselho de Direitos Humanos em junho de 2011 e, posteriormente, seu mandato foi renovado como Relatora Especial sobre as questões das minorias, em março de 2014. Ela é encarregada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU de promover a implementação da Declaração sobre os Direitos das Pessoas Pertencentes a Minorias Nacionais ou Étnicas, Religiosas e Linguísticas, entre outras responsabilidades.

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui