Jovens brasileiros refletem sobre seu papel na transformação da realidade

Noticias / Jovens brasileiros refletem sobre seu papel na transformação da realidade

Jovens brasileiros refletem sobre seu papel na transformação da realidade

Características que unem a juventude mundial são destaque em mensagem estudada por todo o país.

 

De todas as partes do Brasil, começam a chegar relatos de grupos de jovens que se reuniram para estudar a mensagem da Casa Universal de Justiça de 29 de janeiro de 2014. A carta, enviada pelo órgão máximo da Fé Bahá’í aos jovens no Irã – país que é berço da religião fundada por Bahá’u’lláh, visa compartilhar um vislumbre dos aprendizados e desafios resultantes das 114 Conferências de Juventude promovidas mundialmente no segundo semestre do ano passado. Além disso, estimula os jovens a manterem acesa a chama do amor pelo serviço à humanidade. 

Vivendo em uma sociedade em que o acesso à educação superior e a diversos outros direitos essenciais é negado aos membros da comunidade bahá’í, os jovens iranianos foram privados de participar dos processos relacionados às 114 Conferências, que reuniram no total mais de 80 mil participantes de praticamente todas as nacionalidades. Porém, em vez de tornarem-se vítimas da opressão à qual são submetidos, eles se destacam por sua atitude progressista, dinâmica, vibrante e comprometida com o serviço à sociedade. 

A tradução da mensagem da Casa Universal de Justiça, escrita originalmente em Persa, foi encaminhada à Assembleia Espiritual Nacional, responsável pela administração dos assuntos da Fé no Brasil. “Diante da profundidade de seu conteúdo, a Assembleia então providenciou sua versão para o Português com vistas a disseminar seu conteúdo entre os jovens brasileiros, especialmente aqueles que tiveram a oportunidade de participar de uma das edições das Conferências realizadas no Brasil”, conta Carlos Alberto Silva, Secretário da Assembleia Nacional. “Ao estudarem o seu conteúdo, esses jovens serão impactados pela força espiritual contida nas palavras da Casa, e serão fortalecidos nos serviços que estão desempenhando”, reforça. 

O estímulo para a formação de grupos de estudo da mensagem já vem dando resultados concretos. Um exemplo disso vem da vizinhança de Coroa do Meio, em Aracaju (SE), onde 15 participantes se reuniram na noite do dia 8 de março, conforme relata Jerome Muller. “Os jovens no Irã sofrem grande represália para demonstrar sua fé, mas continuam na luta”, diz ele. “A partir desse estudo vamos pensar em novas ações para que os jovens da região tenham maior envolvimento na construção da sociedade.” 

“Como estamos no período do jejum, que vai do nascer ao pôr do sol, iniciamos a noite comendo uma pizza e confraternizando. Após esse primeiro momento foram feitas algumas orações e o local foi preparado espiritualmente para a reunião. O estudo da carta ocorreu em plenária e em pequenos grupos, com o intuito de facilitar a interação entre os envolvidos”, conta Jerome.   

“Os participantes fizeram reflexões interessantes a respeito dos pontos trazidos na mensagem, como a importância de reconhecermos nosso papel de envolver um número maior de jovens nesse processo”, informa o participante. O exemplo que os jovens bahá'ís iranianos representam ao se dedicarem ao avanço da Fé também rendeu consultas acerca de como os jovens em Aracaju podem se dedicar mais ao serviço à humanidade. 

Jerome conta que a intenção é realizar outros dois encontros: um em outro bairro da cidade, para atrair novos participantes, e depois um terceiro, reunindo todos os interessados. 

 

Estudar para inspirar-se a agir 

“O que a Assembleia Nacional espera dos amigos ao estudarem esta mensagem é simples e se resume em três pontos”, explica Carlos. “Primeiramente, dar continuidade e intensificar as ações em que estão envolvidos em seus respectivos agrupamentos/vizinhanças e incorporar em suas vidas individuais os conceitos tratados na mensagem da Casa, e agir em conformidade com eles.” 

“Em segundo lugar, que verifiquem se no seu próprio agrupamento já é uma realidade o movimento de jovens que foi previsto após as conferências. Caso o movimento esteja ocorrendo, aqueles que estão acompanhando algum grupo de jovens são solicitados a reuni-los para estudar a mensagem juntos. Se o movimento ainda não tiver sido iniciado, cada jovem é orientado a tomar a iniciativa de formar um grupo para estudá-la, envolvendo também seus conhecidos (familiares, vizinhos, colegas de escola e/ou de trabalho, dentre outros), mesmo que não sejam membros da comunidade bahá’í.” 

“Finalmente, solicitamos que os amigos avaliem a oportunidade de rever o material que foi estudado nas conferências, em parte ou na totalidade”, conclui o Secretário Nacional.

 

Para saber mais sobre as 114 Conferências de Juventude, acesse http://news.bahai.org/community-news/youth-conferences/ (em inglês). 

 

Assista também à série de vídeos preparados pelo Centro Mundial Bahá’í com imagens das conferências ao redor do mundo. Clique aqui

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui