Combate à intolerância religiosa é tema de atividades em diversas cidades

Noticias / Combate à intolerância religiosa é tema de atividades em diversas cidades

Combate à intolerância religiosa é tema de atividades em diversas cidades

Foto: Marta e Bia representam a Fé Bahá'í no evento Cantando a Gente se Entende  
 
Governo e sociedade se unem para promover o entendimento entre as diferentes crenças
 
No último dia 21 de janeiro foi celebrado o Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa. A data foi instituída pelo Governo Federal em 27 de dezembro de 2007, em homenagem a mãe de santo Gildásia dos Santos, que teve um infarto fulminante após ver sua foto estampando uma publicação evangélica com palavras ofensivas contra sua religião.  
 

21 janeiro - celebração em Brasília

Por todo o Brasil, pessoas de diferentes crenças participaram de reuniões, seminários e encontros para lembrar a ocasião. Em Brasília, um ato inter-religioso promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República foi realizado no próprio dia 21 no Templo da Boa Vontade. “Houve um momento devocional no qual lideranças e representantes dos diversos segmentos religiosos presentes compartilharam o Sagrado de suas respectivas expressões religiosas por meio de orações, canto ou mensagens”, descreveu Luiz Mourão, um dos representante da comunidade bahá'í de Brasília. O encontro contou ainda com uma apresentação do coral da Legião da Boa Vontade.
 
Além do evento no Templo da Boa Vontade, a comunidade bahá'í de Brasília também dedicou a edição deste mês de uma de suas tradicionais reuniões de oração e meditação à celebração da data. "Mensalmente promovemos esse encontro em nossa casa. A cada reunião buscamos explorar um tema importante para a sociedade", diz Luiz. As reuniões são abertas a seguidores de todas as religiões e costumam reunir um grupo bastante diverso. "Acreditamos que o diálogo inter-religioso é um dos principais meios para se evitar a intolerância", conclui o representante bahá'í.
 
21 janeiro - celebração em CampinasA Prefeitura de Campinas (SP) realizou, também no dia 21, um ato solene no Paço Municipal da cidade. Estavam presentes um total de 200 pessoas entre autoridades políticas, artistas e representantes de denominações religiosas – incluindo seguidores de religiões de matriz africana, católicas e evangélicas, budistas, kardecistas e bahá’ís – além de não-religiosos. O objetivo do ato, organizado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social de Campinas, foi a promoção e disseminação de uma cultura da paz, da justiça e do respeito às diferentes crenças religiosas e convicções filosóficas, incluindo a liberdade de não crer, o agnosticismo e o ateísmo. 
Mais de 20 membros da comunidade bahá’í marcaram presença no evento, cuja programação contou com a leitura de uma oração bahá’í, realizada por Tássia Gushiken. Um artigo assinado pela Assembleia Espiritual Local dos Bahá’ís de Campinas e publicado no Jornalzen, de circulação local, também foi destaque entre as realizações que marcaram a data na cidade. “Foi um evento de grande importância para divulgação da mensagem de Bahá’u’lláh acerca da necessidade de entendimento entre as religiões, bem como para o estabelecimento de parceria com representantes de organizações religiosas e governamentais”, avaliou Alexandre Beust, representante da comunidade local.  
No Rio de Janeiro (RJ), a data foi celebrada no dia 24 de janeiro no evento Cantando a Gente se Entende. A iniciativa partiu da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa - CCIR, e contou com apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e da Rede Globo de Televisão. “Os amigos estavam muito felizes com mais essa conquista", relatou a advogada Inaê Estrela, representante da comunidade bahá'í na CCIR. "O evento foi realizado com muito esforço e colaboração de todos. Estava muito bem organizado, abrangendo todas as religiões que fazem parte da Comissão", avaliou. 
Cada religião participante teve a oportunidade de realizar uma saudação e uma apresentação musical. A Comunidade Bahá'í foi representada pela dupla Marta e Bia, já conhecidas do público no cenário da celebração da liberdade religiosa. Há vários anos, a dupla é atração garantida na Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, realizada tradicionalmente no mês de setembro na orla de Copacabana. Em 2011, também em Copacabana, participaram de uma manifestação pela libertação das sete lideranças bahá'ís presas injustamente no Irã, que obteve repercussão mundial. 

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui