Brasileiros se pronunciam em defesa dos prisioneiros bahá’ís

Noticias / Brasileiros se pronunciam em defesa dos prisioneiros bahá’ís

Brasileiros se pronunciam em defesa dos prisioneiros bahá’ís

No dia 21 de maio, o gramado em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, foi palco do ato “7 anos de Injustiça”, campanha que iniciou no dia 14 de maio e reuniu a sociedade civil, membros de diversas religiões e representantes do Estado, integrando o país na luta pelos Direitos Humanos e Tolerância Religiosa no mundo. O evento fez parte da campanha mundial pela libertação das sete lideranças bahá’is mantidas presas no Irã desde 2008. Centenas de mensagens foram enviadas via redes sociais para os prisioneiros e foram expostas em um banner gigante em frente ao Congresso Nacional. O evento começou às 10h e contou com músicas e orações em sua programação.

 

A mobilização aconteceu em todo o mundo e reunião milhares de pessoas. No Brasil, o tema chegou à Câmara e ao Senado, onde parlamentares e servidores demonstraram seu apoio aos prisioneiros por meio de declarações em vídeo. Confira alguns trechos:

“Farei um pronunciamento no plenário do Senado, fazendo um clamor para que as autoridades iranianas escutem o senado brasileiro e escutem o apelo que o mundo inteiro está fazendo.” - Senadora Gleisi Hoffmann (PR)

“Todo ser humano tem o direito de exercer a sua religiosidade. Por isso, todo apoio a comunidade bahá’í, todo apoio a liberdade de crédo.” - Deputada Federal Erika Kokay (DF)

“Espero que a comunidade internacional, a ONU, todas as pessoas de boa vontade, os crentes e os não crentes… continuem nessa campanha pela liberdade religiosa, pela diversidade, pelo Estado laico… e que o governo do Irã afinal se sensibilize e pare com essa perseguição, porque essa é uma perseguição a todos nós.” - Deputado Federal Chico Alencar (RJ)

“A Declaração Universal dos Direitos Humanos tem como um dos seus pontos mais altos a defesa da liberdade religiosa. A comunidade bahá’í, pelo o seu trabalho, pela sua luta, [que] está legitimada aos olhos do mundo como detentora de direitos, sujeita a liberdade.” - Deputada Federal Margarida Salomão (MG)

“Eu me incorporo àqueles que defendem a religião Bahá’í. Não podemos tolerar em hipótese alguma que no Irã pessoas que professem essa religião estejam sendo presas.” - Senador Otto Alencar (BA)

“Todo apoio a luta da comunidade bahá’i no Irã e no mundo inteiro pela liberdade de expressão das suas crenças religiosas, pela liberdade de expressão da sua cultura. Dou todo apoio a luta do povo bahá’í.” - Rogério Thomaz Junior, jornalista (Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados)

“Nós, militantes dos Direitos Humanos no Brasil e em todo o mundo, acreditamos que a democracia é um caminho importante juntamente com a liberdade da prática da fé de cada pessoa. Acreditamos também que todos os cidadãos do Irã possam respeitar a fé alheia e libertar essas pessoas.” - Vinícius Borba, militante dos direitos humanos (Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal)

 

“A pergunta que todos no Plenário devem estar se fazendo é: qual o crime cometido pelos bahá’ís? Foi professar uma religião que acredita que Deus é um só, que a humanidade é uma só. Eu quero dizer que eu também acredito. Assim me associo nesta data a todas as pessoas de boa vontade na luta pela imediata cessação de toda forma de intolerância religiosa e pela merecida liberdade [às lideranças bahá’ís no Irã]” - Senador Paulo Paim (RS)

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui