Após 14 meses de aprisionamento, autoridades do Iêmen fazem acusação infundada contra cidadão bahá’i

Noticias / Após 14 meses de aprisionamento, autoridades do Iêmen fazem acusação infundada contra cidadão bahá’i

Após 14 meses de aprisionamento, autoridades do Iêmen fazem acusação infundada contra cidadão bahá’i

As autoridades do Iêmen acusaram Hamed Kamal bin Haydara, um cidadão iemenita, de ser espião de Israel e converter muçulmanos à Fé Bahá’í. Essas acusações foram feitas no início do segundo ano de seu aprisionamento, por todo esse tempo, Sr. bin Haydara foi mantido sem acusação e suportou várias formas de tortura.

A esposa, Elham, disse à Agência de Notícias Reuters que seu marido havia sido submetido a severa tortura durante seu aprisionamento. O objetivo era o de obter uma confissão, o que as autoridades não conseguiram. Como consequência, agora o Sr. bin Haydara está sofrendo de problemas crônicos de saúde.

Bani Dugal, a principal representante da Comunidade Internacional Bahá’í nas Nações Unidas, comentou o caso: “as acusações contra o Sr. bin Haydara são infundadas e absurdas, e foram feitas após mais de um ano de maus tratos, inclusive de confinamento solitário, durante o qual as autoridades repetidas vezes admitiram privativamente seus motivos religiosos para o aprisionamento”.

As acusações por parte das autoridades informam que o Sr. bin Haydara não é um cidadão iemenita e falsificou seu nome para entrar no país. Na verdade, ele nasceu na ilha de Socotra, no Iêmen, e reside no país como um cidadão. Seu pai, um médico, mudou-se do Irã para o Iêmen nos anos 1940, e a cidadania iemenita lhe foi concedida por Mahra, sultão de Qishn e Socotra, em reconhecimento aos seus excelentes serviços aos pobres na sociedade. Naturalmente e por direito, a cidadania foi passada ao seu filho. O sultão deu ao pai do Sr. Haydara seu nome iemenita como uma honra e em reconhecimento ao seu respeito pelo país que adotou.

“Sr. bin Haydara é um marido dedicado, pai de três meninas, e cidadão leal do Iêmen. Mas talvez o elemento mais irônico e digno de nota dessa acusação seja o fato de que as autoridades condenaram o Sr. bin Haydara por ‘demonstrar alto padrão moral’, por meio do qual ele conquistou a confiança da população” acrescenta Dugal.

Para ler a matéria original (inglês):

http://news.bahai.org/story/1036

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui