O presente de Ayatollah Tehrani instiga conversação global sobre coexistência religiosa

Noticias / O presente de Ayatollah Tehrani instiga conversação global sobre coexistência religiosa

O presente de Ayatollah Tehrani instiga conversação global sobre coexistência religiosa

 O extraordinário presente de um clérigo iraniano de alto escalão à comunidade mundial bahá'í está começando a instigar uma conversação global sobre coexistência religiosa e liberdade de religião.

Houve mais declarações de apoio aos atos e palavras do Ayatollah Abdol-Hamid Masoumi-Tehrani no Reino Unido e Índia, e outros indivíduos proeminentes estão fazendo comentários nos Países Baixos, Espanha e Estados Unidos.

A resposta veio depois de Ayatollah Tehrani ter oferecido aos bahá'ís do mundo uma obra caligráfica com versículos sagrados bahá'ís, juntamente com um apelo a “coexistência” religiosa.

No Reino unido, o arcebispo católico Kevin McDonald disse numa declaração na terça feira: “nas relações interreligiosas é vital que aderentes de diferentes religiões venham a entender uns aos outros mais profundamente e mais solidariamente. Por isso, esse acontecimento dentro do contexto iraniano é particularmente significativo e bem-vindo”. O arcebispo McDonald é diretor do Escritório para Relações Interreligiosas da Conferência de Bispos Católicos da Inglaterra e País de Gales.

Ainda na terça feira, no Reino Unido, o bispo Angaelos da Igreja Ortodoxa Copta fez uma declaração elogiando Ayatollah Tehrani, dizendo que reza para que a promoção da tolerância e coexistência “se torne cada vez mais manifesta, não somente no Irã, mas em todo o Oriente Médio e no mundo”.

“Nos últimos anos, ficou cada vez mais claro que um dos mais importantes direitos a serem preservados é o de liberdade religiosa, no entanto, no mundo todo ainda há muita gente perseguida por suas crenças e lhes é negado esse direito básico”, disse o bispo Angaelos. “Como cristãos, nós cremos que Deus criou os indivíduos com a liberdade de escolher e praticar sua própria religião e crença e, considerando isso como uma dádiva essencial, continuamos a advogá-lo para todos os que têm direito a isso”, disse ele.

Harry van Bommel, membro do Parlamento dos Países Baixos, publicou notícias sobre os atos do Ayatollah Tehrani no seu blog, dizendo: “O ato desse Ayatollah é importante e não permanece isolado. Há um grande número de eruditos religiosos que juntos formam uma voz construtiva e baseada em princípios [para coexistência religiosa] que merece ser apoiada e promovida”.

Nos Países Baixos, o proeminente jornalista e perito em assuntos do Oriente Médio, Eilder Mulder, publicou uma coluna no jornal Trouw elogiando o ato de Ayatollah Tehrani e chamando-o de um “defensor da verdadeira liberdade de religião e crença”. O presente de Ayatollah Tehrani foi um ato “notável” com vistas a promover tolerância entre as diferentes religiões, disse ele.

Na índia, Soli Sorabjee, ex-Advogado Geral do país, e Amitabh Behar, eminente ativista da sociedade civil, ambos discutiram as ações de Ayatollah Tehrani em termos de direitos das minorias.Sr. Sorabjee chamou as palavras e atos de Ayatollah Tehrani como “corajosos” num país em que “as minorias vêm sofrendo violações de direitos humanos” e discriminação.

“Este clérigo de alto escalão realmente articulou uma voz construtiva e baseada em princípios, de compromisso com tolerãncia religiosa e respeito pela dignidade humana, que é a necessidade urgente nas sociedades dominadas por conflitos em muitas nações e estados”, disse Sr. Sorabjee.

Sr. Behar, Diretos Executivo da Fundação Nacional para Índia, que trabalha em prol da justiça social e filantropia na Índia, disse que espera que o gesto de Ayatollah Tehrani “crie um ambiente mais conducente aos direitos das minorias no Irã”.

“Globalmente, vemos um vigoroso esforço de intolerância e discriminação contra minorias de todos os tipos”, disse Sr. Behar. “Nos tempos atuais, todo ato para fortalecer uma sociedade e governo plural e tolerante é bem-vindo. Precisamos celebrar a diversidade e atos de coragem que construam uma sociedade pacífica e justa.

Na Espanha, representantes do movimento humanista Comunidad del Mensaje de Silo de Alcala de Henares escreveram uma carta aberta à embaixada iraniana na Espanha, louvando Ayatollah Tehrani e pedindo uma maior tolerância religiosa.

“É claro que de um povo no qual a poesia é um valor e uma perspectiva de vida, nada se pode esperar senão um ato corajoso como esse, reconhecendo valores humanos universais como igualdade e respeito, independente de religião que a pessoa professa”, escreveram Fernando Montalban, Mabel Naya e Marisol Gonzales.

Nos Estados Unidos, o web-site da Faith Street publicou um artigo da autoria de Michael Karlberg, professor da Western Washington University que tem um interesse especial em resiliência construtiva, a respeito de seu On Faith, blog que vinculou os atos de Ayatollah Tehrani a um rol de outros que agiram corajosamente em apoio a direitos humanos e tolerência.

A mensagem de Ayatollah Tehrani “é algo urgentemente necessário no Irã e seus atos apresentam um modelo que deve ser emulado por um crescente número de iranianos zelosos e corajosos”, disse Dr. Karlberg. “Sua mensagem e seus atos são universalmente importantes. Eles oferecem um esclarecido modelo de discurso e de ação que merece apoio e emulação em toda nação em que prevalecem o preconceito e a intolerância.

O presente de Ayatollah Tehrani foi anuanciado em 7 de abril de 2014, quando ele postou uma imagem de uma obra caligráfica com iluminuras com citações de verículos do Kitáb-i-Aqdas, o “Livro sacratíssimo” de Bahá'u'lláh.

No coração da obra se encontram as seguintes palavras: “Associai-vos aos seguidores de todas as religiões em espírito de amizade e concórdia”.

A obra caligráfica estava acompanhada de uma declaração de três páginas que, entre outras coisas, dizia: “Apresento este precioso símbolo – uma expressão de solidariedade e atenção de minha parte e da parte de todos os meus concidadãos de mente aberta que respeitam os outros por sua humanidade e não por sua religião ou seu modo de adoração – a todos os bahá'ís do mundo, especialmente aos bahá'ís do Irã que têm sofrido de diversas maneiras em consequência do cego preconceito religioso”.

Na semana passada, líderes religiosos da Índia e clérigos da Igreja da Inglaterra no Reino Unido também fizeram declarações de apreço pelos atos de Ayatollah Tehrani.

Há ainda uma crescente discussão no mundo árabe sobre o impacto e a importância dos atos de Ayatollah Tehrani.

Matéria traduzida do The New York Times

 

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui