Líder anglicano sênior elogia a “importância” e a “coragem” do presente entregue pelo aiatolá iraniano aos bahá’ís

Noticias / Líder anglicano sênior elogia a “importância” e a “coragem” do presente entregue pelo aiatolá iraniano aos bahá’ís

Líder anglicano sênior elogia a “importância” e a “coragem” do presente entregue pelo aiatolá iraniano aos bahá’ís

Dois dos principais líderes da igreja da Inglaterra elogiaram o extraordinário ato de um aiatolá iraniano que, na semana passada, pediu “coexistência” religiosa, dedicando aos bahá’ís do mundo, e especialmente aos bahá’ís do Irã, uma obra caligráfica com iluminuras de uma passagem dos textos sagrados dos bahá’ís.

Lord Rowan Williams, de Oystermouth, ex-arcebispo de Canterbury, disse que o presente do Aiatolá Abdol-Hamid Masoumi-Tehrani foi de “imensa importância”. “Ele representa não somente um gesto de cortesia pessoal, mas também um elemento do melhor e mais criativo dentro do mundo islâmico, profundamente apreciativo de tudo o que ajuda os seres humanos a responder à vontade de Deus pela paz e entendimento”, disse Dr. Williams. “Juntamente com muitas outras pessoas de todas as crenças, rezarei para que isso seja um marco de mudança nas atitudes do Irã para com a Comunidade Bahá’í e agradeço a coragem e a generosidade que motivou esse presente.”

Anteriormente, o bispo de Coventry, Christopher Cocksworth, disse que ficou “entusiasmado em saber” do presente do Aiatolá Tehrani aos bahá’ís.

“Considerando o sofrimento sistemático, e de longa data, da comunidade bahá’í no Irã, este é um passo admiravelmente corajoso da parte de um erudito islâmico do Irã”, disse Dr. Cocksworth em 9 de abril.

A “ação” do Aiatolá Tehrani “lembra-nos a todos que, apesar da natureza desumanizante de muitos conflitos religiosos de hoje, os líderes religiosos têm a responsabilidade comum de encorajar a liberdade de religião e crença e promover um respeito mais profundo pela dignidade humana”, disse o bispo Cocksworth, principal Bispo dos Lordes da política externa da Igreja da Inglaterra.

O presente do Aiatolá Tehrani foi anunciado em 7 de abril de 2014, quando ele colocou uma imagem da obra no seu website, juntamente com uma declaração pessoal a respeito de sua intenção de criar uma obra caligráfica com iluminuras de diversos versículos do Kitáb-i-Aqdas, o “livro Sacratíssimo” de Bahá’u’lláh.

“Presenteei este precioso símbolo como expressão de simpatia e consideração de minha parte, e em nome de todos os meus concidadãos de mente aberta que respeitam os outros por sua humanidade e não por sua religião ou seu modo de adoração, a todos os bahá’ís do mundo, especialmente aos bahá’ís do Irã que têm sofrido de diversas maneiras em consequência do cego preconceito religioso”, disse Aiatolá Tehrani.

A notícia da ação foi rapidamente difundida por organizações noticiosas e mídias sociais na semana passada. Além disso, a Christian Solidarity Worldwide (CSW), que defende a liberdade de religião, emitiu na sexta feira uma declaração elogiando a ação do Aiatolá Tehrani. “O gentil gesto de Aiatolá Tehrani para com a Comunidade Bahá’í é particularmente bem-vindo num tempo em que a Comunidade está sendo ativamente visada e vilipendiada pelo regime iraniano”, disse Mervyn Thomas, a principal executiva da CSW. “Dezenas de bahá’ís estão definhando na prisão e a Comunidade é submetida a ataques, molestamento e intimidação. A CSW urge o presidente Rouhani a emular a atitude de inclusão, defendendo os direitos da Comunidade Bahá’í como cidadãos iguais e garantindo a liberdade de religião ou crença para todas as comunidades religiosas.”

A preparação e dedicação do presente do Aiatolá Tehrani foi feita com grande risco pessoal pelo fato de o governo iraniano recusar reconhecer a Fé Bahá’í como uma religião e perseguir os bahá’ís sistematicamente desde a Revolução Islâmica de 1979.

Leia matéria original em inglês no link http://news.bahai.org/story/988 

RSS

Para subscrever a nossa feed RSS de notícias clique aqui