Enaltecido és Tu, ó Senhor meu Deus!

Oracoes / Enaltecido és Tu, ó Senhor meu Deus!

Saiba mais!

Conheça as leis bahá'ís sobre o Jejum clicando aqui.

Para ter acesso a informações sobre o Calendário Bahá'í, acesse esta página.

Quer ganhar um e-book de orações?

Gotas de Fé - Sua dose diária de espiritualidade no Facebook.

Curta a página Gotas de Fé no Facebook!

Orações para o Jejum

 

Enaltecido és Tu, ó Senhor meu Deus! Suplico-Te, por aqueles a quem ordenaste observar o Jejum por amor a Ti e para Teu agrado, aqueles que demonstraram lealdade à Tua lei e que seguiram Teus versículos e preceitos, e que quebraram o jejum em Tua presença e contemplando Teu semblante. Por Tua glória! Todos os seus dias são dias de jejum, pois eles estão volvidos para a corte de Teu beneplácito. Se a boca de Tua vontade lhes dirigisse estas palavras: "Observai o Jejum, ó povo, por amor à Minha Beleza, e não coloqueis término à sua duração", Eu juro, pela majestade de Tua glória, que cada um deles irá cumpri-lo fielmente, abster-se-á de tudo o que viole Tua lei, e continuará a fazê-lo até render a alma a Ti, pois experimentaram a doçura de Teu chamado e ficaram inebriados com Tua lembrança e Teu louvor e com as palavras emanadas dos lábios de Teu decreto.

Eu Te suplico, ó Senhor, por Ti mesmo, o Excelso, o Altíssimo, e por Tua mais recente Manifestação, através de Quem o reino dos nomes e o domínio dos atributos foram abalados, e os habitantes da terra e do céu ficaram inebriados, e todos os que vivem nos reinos da Revelação e da criação tremeram - exceto os que jejuaram de tudo o que Teu agrado repugna e abstiveram-se de mirar qualquer outra coisa além de Ti - que nos incluas entre eles, e escrevas nossos nomes na Epístola onde registraste seus nomes. Ó Deus, através das maravilhas de Teu poder e os sinais de Tua majestade e grandeza, Tu fizeste seus nomes emanarem do oceano de Teus nomes e, da substância de Teu amor, criaste sua essência mais íntima e do espírito de Tua Causa fizeste o íntimo de seus seres. Eles desfrutam de uma reunião que não é seguida de afastamento, de uma proximidade que desconhece distanciamento e uma perpetuidade que jamais finda. Verdadeiramente, estes sãos servos que sempre Te mencionam, que eternamente giram ao Teu redor e que circumpercorrem o santuário de Tua presença e a Caaba da reunião contigo. Tu não decretaste, ó meu Deus, nenhuma distinção entre eles e Ti, exceto que quando contemplam as luzes de Tua face eles se volvem para Ti e se prostram ante Tua beleza, submissos ante Tua grandeza e desprendidos de tudo exceto de Ti.

Nós jejuamos neste dia, ó meu Senhor, por Tua determinação e ordem e em conformidade com o que revelaste em Teu Livro perspícuo. Abstivemos nossas almas da paixão e de tudo o que abominas até o dia aproximar-se do fim e chegar a hora de quebrar o Jejum. Portanto, eu Te imploro, ó Tu que és o Desejo dos corações dos que amam ardentemente e o Bem-Amado das almas daqueles dotados de compreensão - ó Êxtase dos corações dos que por Ti anseiam e Objeto do desejo dos que Te buscam - que nos faças voar na atmosfera de Tua proximidade e no céu de Tua presença e que aceites de nossa parte o que realizamos na senda de Teu amor e Teu agrado. Inscreve nossos nomes, então, entre aqueles que reconheceram Tua unicidade e confessaram Tua singularidade e se humilharam ante as evidências de Tua majestade e os sinais de Tua grandeza - aqueles que buscaram refúgio em Tua proximidade e abrigo em Ti, que despenderam a vida no anseio de Te encontrar e atingir a corte de Tua presença, e que, na ânsia de se aproximarem de Ti, deitaram fora o mundo por amor a Ti e romperam todos os laços salvo contigo. Estes são servos cujos corações se dissolvem em ardoroso desejo por Tua beleza sempre que Teu nome é mencionado, e cujos olhos transbordam lágrimas em seu anseio de Te encontrar e de ingressar nos recintos de Tua corte.

Aqui tens, ó Senhor, minha língua a dar testemunho de que és uno e inigualável, meus olhos a contemplar a sede de Tua generosidade e incontáveis bênçãos, e meus ouvidos prontos para atender a Teus chamados e Teus pronunciamentos, pois estou certo, ó meu Deus, de haveres decretado serem inexauríveis as palavras que emanam da boca de Tua vontade, e a elas os ouvidos que santificaste para escutar Tuas palavras e versículos prestam constante atenção. E aqui tens minhas mãos, ó meu Senhor, erguidas para o céu de Teu favor e terna misericórdia. Poderás, então, rejeitar este pobre ser que não buscou outro bem-amado a não ser Tu, nenhum doador além de Ti, nem outro rei senão Tu, nenhum outro abrigo que não seja sob a sombra de Tua mercê ou qualquer refúgio que não seja ante Tua porta, a qual tens aberta para todos os que habitam Teu céu e Tua terra? Não! Por Tua glória! Sou aquele cuja confiança em Tua terna bondade permanecerá inquebrantável ainda que me aflijas com tormentos por toda a duração de Teu domínio. E se alguém me perguntar sobre Ti, cada membro de meu corpo proclamará: "Ele é amado em Seus atos e obedecido em Seu decreto, misericordioso em Sua natureza e compassivo para com Suas criaturas!"

Teu poder me dá testemunho - ó Bem-Amado dos corações dos que por Ti anseiam - fosses Tu afastar-me de Tua porta e abandonar-me às espadas dos tiranos entre Teus servos e ao açoite dos ímpios dentre Tuas criaturas, e alguém me perguntasse sobre Ti, cada cabelo de meu corpo ainda declararia: "Ele é, em verdade, o Mais Amado dos mundos; Ele é o Mais Generoso; Ele é o Sempiterno! Ele me aproxima quando dEle me afasta; Ele me concede Seu santuário quando me impede de Sua presença. Jamais encontrei outro mais generoso do que Ele, através de Quem me tornei independente de tudo o que não seja Ele e fui erguido acima de tudo que não Ele próprio."

Feliz aquele, ó meu Deus, que foi tão enriquecido por Ti a ponto de se tornar independente dos reinos da terra e do céu. Rico é quem se firmou à corda de Tua riqueza, quem é submisso ante Tua face e para quem és suficiente sobre todas as coisas. Pobre é aquele que Te dispensou, que se fez arrogante ante Tua face, que se afastou de Tua presença e desacreditou em Teus sinais. Permite-me, pois, ó meu Deus e meu Bem-Amado, ser contado entre aqueles que as brisas de Tua vontade movem a seu bel-prazer, e não entre aqueles que o vento do ego e da paixão sacode e orienta conforme seu desejo. Não há outro Deus senão Tu, o Onipotente, o Excelso, o Mais Generoso.

Toda glória a Ti, ó meu Deus, por me haveres generosamente capacitado a jejuar durante este mês que relacionaste ao Teu Nome, o Excelso, chamando-o 'Alá (Sublimidade). Tu ordenaste que Teus servos e Teu povo jejuassem durante seu curso e assim buscassem aproximar-se de Ti. Os dias e meses do ano culminaram com o Jejum, do mesmo modo que o primeiro mês começou com Teu Nome, Bahá, para que todos possam testemunhar que Tu és o Primeiro e o Último, o Manifesto e o Oculto, e possam assim estar bem seguros de que a glória de todos os nomes somente é concedida através da glória de Tua Causa, e que a palavra é exposta por Tua vontade e revelada através de Teu propósito. Tu ordenaste que este mês seja uma lembrança e uma honra provinda de Ti, e um sinal de Tua presença entre eles, para que não esqueçam de Tua grandeza e majestade, de Tua soberania e glória, e possam saber com toda firmeza que Tu, desde tempos imemoriais, sempre foste e sempre serás o Governante sobre a criação inteira. Nada do que foi criado no céu ou na terra pode Te impedir de Teu governo, nem pode qualquer um nos reinos da Revelação e da criação Te impedir de cumprires Teu propósito.

Eu te imploro, ó Meu Deus, por Teu Nome, que causou o lamento de todos os povos da terra - exceto aqueles que protegeste com Tua infalível proteção e abrigaste à sombra de Tua transcendente mercê - que nos faças tão firmes em Tua Causa e tão perseverantes em Teu amor que se Teus servos se levantassem contra Ti e Teu povo se afastasse de Ti e ninguém restasse na terra que invocasse Teu nome e volvesse a face para o santuário da comunhão contigo e a Caaba de Tua santidade, eu ainda assim erguer-me-ia, desamparado e só, para a vitória de Tua Causa, para exaltar Tua palavra, para proclamar Tua soberania e celebrar o louvor a Teu Ser Excelso. E isso, ó meu Deus, apesar de eu me encher de perplexidade cada vez que tento Te exaltar através de qualquer nome, pois estou bem consciente que todos os Teus sublimes atributos e todos os mais excelentes nomes que associo a Ti e pelos quais em Tua santa presença eu Te suplico, nada refletem senão a medida de minha própria compreensão, já que sempre associei a Ti qualquer nome que eu considerasse louvável.

Imensamente elevada é Tua verdadeira condição acima da descrição ou do conhecimento de qualquer um senão Tu, e santificado estás da glorificação de Tuas criaturas e do louvor de Teus servos em suas tentativas de a Ti ascenderem. Tudo o que emana de Teus servos é circunscrito pelas limitações de seus próprios seres e é obra de suas próprias vãs fantasias e imaginações.

Lástima, lástima, ó meu Bem-Amado, por minha inabilidade de Te louvar de um modo digno e por minhas faltas durante Teus dias! Se eu Te louvar, ó Meus Deus, como Aquele que tudo conhece, imediatamente percebo que, fosses Tu apontar para uma pedra silente com um único dedo de Tua vontade, Tua a capacitarias a desdobrar o conhecimento de todas as eras passadas e futuras; e se eu Te glorificar como o Todo-Poderoso, descubro que uma palavra emanada da boca de Teu propósito é suficiente para convulsionar os céus e a terra.

Tua glória me dá testemunho, ó Bem-Amado de todos os que Te reconheceram, se algum erudito falhasse em confessar sua ignorância antes as revelações de Teu conhecimento, ele seria considerado o mais ignorante de Teu povo; e se qualquer um dotado de poder se recusasse a admitir sua fraqueza ante as evidências de Teu poder, ele seria tido como a mais fraca e desatenta de Tuas criaturas. Uma vez que sei e estou certo disso, como posso, pois, Te glorificar, ou Te descrever, ou louvar? Portanto, sabendo de minha fraqueza, apressei-me ao abrigo de Tua força; e reconhecendo minha pobreza, busquei refúgio à sombra de Tua riqueza; e sabendo de minha incapacidade, ergui-me para me colocar ante o tabernáculo de Tua força e Teu poder. Podes expulsar esta pobre criatura após ter ela desprezado o auxílio de todos a não ser Tu, ou afastar este estranho depois de ele apenas ter achado a Ti como seu bem-amado?

Tu sabes tudo o que vai em mim, ó meu Senhor, mas eu não sei o que vai em Ti. Tem misericórdia de mim, pois, através de Tua amorosa providência e inspira-me com o que possa trazer paz a meu coração durante Teus dias e tranqüilidade à minha alma através das revelações de Tua santa presença. Todas as coisas criadas foram iluminadas com os esplendores das luzes de Teu semblante, ó Senhor, e os habitantes da terra e do céu brilham resplandecentemente por conta das manifestações de Tua incomparável majestade, de tal modo que nada contemplo sem que em seu imo eu contemple primeiro a revelação de Ti próprio, uma revelação oculta das vistas daqueles servos Teus que estão profundamente adormecidos.

Não me prives, é meu Senhor, de Tua graça, que abarcou todos os reinos da existência, quer visíveis, quer invisíveis. Poderás permanecer distante, ó meu Deus, depois de haveres convidado toda a humanidade a regressar e a se aproximar de Ti, e os haveres instado a se segurarem firmemente à Tua corda? Poderás Tu me expulsar, ó meu Bem-Amado, apesar de teres prometido, em Teu Livro incorruptível e em Teus maravilhosos versículos, reunir dentro do pavilhão de Tua generosa providência todos aqueles que por Ti anseiam, e à sombra de Teu generoso favor todos aqueles que Te desejam, e sob o pálio de Tua misericórdia e amorosa ternura aqueles que por Ti buscam?

Juro por Teu poder, ó meu Deus, que meus lamentos contiveram minha Pena e, em verdade, o pranto de meu coração arrancou as rédeas de minhas mãos! Sempre que me tranquilizo e alegro minh'alma com as maravilhas de Tua misericórdia, com os sinais de Tua amorosa providência e as evidências de Tua generosidade, tremo diante das manifestações de Tua justiça e dos sinais de Tua ira. Atesto que és conhecido por estes dois nomes e és descrito por estes dois atributos; entretanto, Te é indiferente se és invocado por Teu nome O que sempre perdoa, ou por Teu nome o Deus de ira. Por Tua glória! Não fosse por meu conhecimento de que Tua misericórdia supera todas as coisas, os membros de meu corpo teriam deixado de existir, minha realidade haver-se-ia extinguido e meu ser interior ter-se-ia reduzido ao nada absoluto. Mas quando contemplo que Tua graça abarca todas as coisas e Tua misericórdia envolve a criação inteira, minh'alma e o mais íntimo de meu ser se tornam serenos.

Lástima, lástima, ó meu Deus, pelas coisas que me escaparam durante Teus dias, e, novamente, lástima, lástima, ó Desejo de meu coração, pelo que deixei incompleto no serviço e na obediência a Ti durante estes dias cujos semelhantes jamais foram contemplados pelos olhos de Teus eleitos e Teus fidedignos. Eu Te suplico, ó meu Senhor, por Ti mesmo e pelo Manifestante de Tua Causa, o Qual está assentado no trono de Tua misericórdia, que me confirmes em Teu serviço e em Teu bel-prazer. Protege-me, então, dos que se afastaram de Ti e desacreditaram em Teus versículos, que negaram Tua verdade, rechaçaram Tuas evidências e violaram Teu Convênio e testamento.

Todo louvor, ó Senhor meu Deus, Àquele que é a Manifestação de Tua Essência, o Sol de Tua unidade, a Mina de Teu conhecimento, a Fonte de Tua Revelação, o Repositório de Tua inspiração, a Sede de Tua soberania e o Nascente de Tua Divindade - Aquele que é o Ponto Primaz, o Semblante Mais Sublime, a Raiz Antiga e o Vivificador nas nações; e glória àquele que foi o primeiro a acreditar nEle5 e em Seus versículos, do qual fizeste um trono para a ascendência de Tua mais sublime Palavra, um ponto focal para a manifestação de Teus mais excelentes nomes, uma alvorada da radiância do Sol de Tua providência, um nascente para o aparecimento de Teus nomes e atributos e um tesouro das pérolas de Tua sabedoria e de Teus mandamentos. E toda honra àquele que foi o último a vir até Ele, cuja chegada foi como Sua chegada, e Tua manifestação nele como Tua manifestação nEle, exceto pelo fato de que ele era iluminado pelas luzes de Sua face e se prostrou ante Ele e deu testemunho de sua servitude a Ele; e glória àqueles que foram martirizados em Seu caminho e que sacrificaram suas vidas por amor à Sua beleza.

Nós damos testemunho, ó meu Deus, de que estes são servos que acreditaram em Ti e em Teus sinais, que buscaram o santuário de Tua presença e se volveram para Tua face, que voltaram os rostos para a corte de Tua proximidade e caminharam na trilha de Teu agrado, que Te adoraram segundo Teu desejo e se desprenderam de tudo menos de Ti. Ó Senhor, concede a seus espíritos e seus corpos, em todos os tempos, uma medida das maravilhas de Tua misericórdia toda envolvente. Tu és, verdadeiramente, poderoso para agir como te apraz. Não há outro Deus senão Tu, o Onipotente, o Todo-Glorioso, cujo amparo todos os homens imploram.

Eu Te suplico, ó Senhor, por Ele e por eles, e por Aquele a Quem estabeleceste sobre o trono de Tua Fé e fizeste sobrepujar todos os habitantes da terra e do céu, que nos purifiques de nossas transgressões, que ordenes para nós um assento de verdade em Tua presença e nos faças associar com aqueles aos quais as adversidades do mundo e seus infortúnios não impediram de se volverem a Ti. Tu és, em verdade, o Todo-Poderoso, o Mais Sublime, o Protetor, O que sempre perdoa, o Misericordioso.

 

- Bahá'u'lláh