Algumas Leis - Oração

A Fé Bahá'í / A Religião / Algumas Leis Bahá'ís / Algumas Leis - Oração

Algumas Leis - Oração

Clique nos links abaixo para conhecer outras leis bahá'ís

Oração
Casamento
Educação dos Filhos
Não-envolvimento em Política Partidária 
Jejum
Álcool e Outras Drogas
Funeral

 As leis bahá'ís sobre a oração foram reveladas por Bahá'u'lláh no Kitáb-i-Aqdas, o Livro Sacratíssimo da Fé Bahá'í. 

Diariamente, os bahá'ís estudam e meditam sobre as escrituras sagradas. Existe um grande número de orações escritas pelo Báb, Bahá'u'lláh e `Abdu'l-Bahá, compiladas em livros diversos e, por vezes, separadas por categorias ou temas. Os bahá'ís são livres para ler também orações e textos sagrados de outras religiões.  

Orações Bahá'ís

Para ter acesso a uma seleção de orações inspiradoras para alimentar a sua alma, clique aqui!

À exceção da oração de finados, que é realizada de forma congregacional (ou seja, com duas ou mais pessoas recitando a oração ao mesmo tempo), Bahá'u'lláh orienta que a leitura ou recitação de orações seja realizada individualmente. 

Os bahá'ís frequentemente realizam a leitura de orações em grupo, sendo que apenas uma pessoa por vez recita uma oração escolhida. Nessas oportunidades, é comum que sejam realizadas também orações de outras tradições religiosas, promovendo-se um ambiente acolhedor para os seguidores de todas as religiões.  

A partir dos 15 anos - idade em que o indivíduo chega à maturidade espiritual, cada bahá'í deve recitar diariamente uma das três orações obrigatórias reveladas por Bahá'u'lláh. Além disso, deve também recitar 95 vezes o verso "Allá'u'Abhá", que significa literalmente "Deus é o Mais Glorioso". Esta repetição é considerada tanto uma oração quanto uma forma de meditação. 

Precisando de Orações?

Preencha o formulário para que oremos por você ou pela pessoa a quem você dedicar o seu pedido de oração.

Os bahá'ís podem escolher qual das três orações obrigatórias desejam recitar a cada dia:

oração obrigatória curta deve ser recitada uma vez em vinte e quatro horas, entre o meio-dia e o por-do-sol. É preferível recitar esta oração obrigatória em pé, como sinal de reverência. 

oração obrigatória média deve ser recitada três vezes em um dia, pela manhã, ao meio dia e ao anoitecer. 

oração obrigatória longa deve ser recitada apenas uma vez, a qualquer hora do dia. 

Existem algumas práticas que devem ser observadas em relação a todas as orações obrigatórias:

* Antes de recitar a oração obrigatória, deve-se realizar  abluções, que consistem em lavar as mãos e o rosto. Se não houver água disponível, ou em casos nos quais seu uso seja prejudicial ao rosto ou às mãos, um versículo especificamente revelado deve ser repetido cinco vezes.

* A oração obrigatória deve ser recitada individualmente, em particular.

* Enquanto se recita a oração obrigatória, deve-se voltar a face ao Qiblih, onde está localizado o Santuário de Bahá'u'lláh. 

Quer participar de uma Reunião de Oração?

Envie-nos uma mensagem para que possamos entrar em contato e informar sobre as reuniões em sua cidade.

O Kitáb-i-Aqdas apresenta alguns casos de isenção da realização das orações obrigatórias:

* Pessoas menores de 15 anos ou maiores de 70 anos de idade;

* Indivíduos que apresentem enfermidade que os impeçam de realizar as orações;

* Viajantes que não encontrarem um local seguro ou apropriado.

As mulheres são dispensadas de realizar a oração obrigatória e o jejum durante o período menstrual; em vez disso, devem realizar suas abluções e repetir 95 vezes por dia, entre um meio-dia e o próximo, o verso: “Glorificado seja Deus, o Senhor de Esplendor e Beleza”. O conceito de impureza ritual existente em algumas Dispensações religiosas do passado - de acordo com o qual as mulheres eram consideradas ritualmente impuras durante a menstruação e era-lhes vedado observar os deveres da oração e do jejum -  foi abolido por Bahá'u'lláh 

A Casa Universal de Justiça esclareceu que as disposições do Kitáb-i-Aqdas que concedem isenção de certos deveres e responsabilidades são, como a palavra indica, isenções, e não proibições. Qualquer bahá'í, portanto, homem ou mulher, pode tirar proveito de uma isenção que se lhe aplique, se o desejar. Entretanto, a Casa de Justiça aconselha que, ao tomar tal decisão, o indivíduo faça uso da sabedoria e se conscientize de que Bahá'u'lláh concedeu tais isenções por bons motivos.