Desenvolvimento e Sustentabilidade

Ação Social / Princípios em Ação / Desenvolvimento e Sustentabilidade

Desenvolvimento e Sustentabilidade

Foto: Grupo de pré-jovens em São Sebastião (DF) dedica ato de serviço à revitalização do espaço urbano onde vivem.

Por todo o Brasil, comunidades bahá'ís locais têm se envolvido em ações voltadas para o desenvolvimento da consciência individual e coletiva de que somos parte indissociável do ambiente que nos cerca.

Ação Social

Empoderamento de Pré-Jovens

Círculos de Estudo

Educação Espiritual para Crianças

Reuniões de Oração e Meditação

Instituto Ruhi de Capacitação

Desenvolvimento Socieconômico

Guardiania Coletiva

O princípio da guardiania coletiva implica na necessidade de uma perspectiva intergeracional na qual o bem-estar das futuras gerações é levado em conta em todos os níveis decisórios.

Os direitos humanos alcançam sua mais elevada expressão quando entendidos no contexto da guardiania, passando a prover uma estrutura de relações humanas por meio da qual todas as pessoas têm a oportunidade de realizar seu pleno potencial, e todos têm a preocupação de garantir essa mesma oportunidade para os demais.

A mudança para modos sustentáveis de produção e consumo e a erradicação dos extremos de riqueza e pobreza são também expressões desse princípio: em poucas palavras, é preciso reconhecer que consumir mais do que a porção justa significa exaurir os recursos necessários ao sustento de outros.

Quer saber mais? Clique aqui.

Leia também:

Repensando a Prosperidade: Criando Alternativas à Cultura de Consumo

Erradicação da Pobreza X Eliminação dos Extremos de Pobreza e Riqueza

Conservação dos Recursos da Terra - Excertos das Escrituras Bahá'ís sobre a Natureza

Desenvolvimento Sustentável e o Espírito Humano

Fundamentos Espirituais para uma Sociedade Ecologicamente Sustentável

"Não se pode separar o coração humano do ambiente que nos cerca e dizer que logo que um deles se modifique, tudo melhorará. O Ser humano é parte orgânica do mundo", ensinou Shoghi Effendi - o Guardião da Fé Bahá'í.

Para além das discussões acerca do uso racional de recursos naturais - que são parte integrante do cotidiano bahá'í desde o período que antecedeu a ECO-92, a comunidade bahá'í brasileira vem se empenhando no desenvolvimento de ações que colocam o indivíduo no centro do processo de desenvolvimento, como protagonista da mudança que queremos ver no mundo.

Seja por meio de atos de serviço realizados por grupos de pré-jovens, de projetos que visam garantir a sustentabilidade das sedes bahá'ís locais, ou de capacitações temáticas para assegurar participação qualificada em eventos de grande porte, como a Rio+20 - todas essas ações advém da nossa crença de que cada um de nós ingressa no mundo sob a guarda do todo e, por sua vez, possui como legado um certo grau de responsabilidade para com o bem-estar da coletividade. A aplicação deste princípio, conhecido como "guardiania coletiva", requer uma significativa mudança de paradigmas, colocando a cooperação, o respeito e o entendimento de que somos cidadãos de um só planeta no centro de todos os relacionamentos humanos.

Acreditamos que as pessoas têm o direito e a obrigação de participar na construção de uma sociedade próspera. A fim de contribuir para a concretização desse princípio, cada indivíduo é estimulado a participar ativamente nos processos de tomada de decisão em sua comunidade, promovendo uma diversidade de pontos de vista e experiências que visam a obtenção de decisões informadas e responsáveis. O empoderamento necessário para que essa transformação possa ocorrer se dá tanto por meio das capacitações oferecidas pelo Instituto Ruhi quanto pelo envolvimento nas ações de uma rica tessitura comunitária.

A consulta aberta e franca sobre todos assuntosuma abordagem deliberativa que unifica em vez de dividir - é um instrumento eficiente para favorecer um grau progressivo de unidade de visão e ação entre os participantes. Seu objetivo abrange não apenas a avaliação da realidade de uma situação específica, mas também o fortalecimento dos laços que unem os participantes, que trabalham juntos para alcançar o bem comum.