Bahá'u'lláh

A Fé Bahá'í / Origens / Bahá'u'lláh

Bahá'u'lláh

Santuario de Bahaullah em BahjiBahá'u'lláh, o Fundador da Fé Bahá'í, é o título adotado por Mírzá Husayn 'Alí Núrí, filho de um proeminente nobre iraniano, nascido em Teerã em 12 de novembro de 1817. Bahá'u'lláh significa “A Glória de Deus”, em árabe. Ainda jovem tornou-Se famoso por seus serviços aos pobres e por sua sabedoria.

Bahá'u'lláh é o Mensageiro de Deus para esta era e o Prometido de todas as religiões, Cujo objetivo é a unificação e a fraternidade entre todas as religiões, raças e nações do mundo e a espiritualização do caráter humano. Os ensinamentos de Bahá'u'lláh afirmam que a unidade do mundo é o supremo remédio e a solução para os maiores problemas que afligem a humanidade nesta nova era, em que a ciência interligou toda a terra e tornou todas as nações interdependentes; e oferecem uma estratégia para alcançar este objetivo.

Saiba mais!

Navegue pelos links abaixo para conhecer mais sobre as origens da Fé Bahá'í.

Bahá'u'lláh

O Báb

'Abdu'l-Bahá

Shoghi Effendi e a Guardiania

A Casa Universal de Justiça e outras Instituições Bahá'ís

Em 1863, em um lindo jardim em Bagdá, Bahá'u'lláh, cercado por um reverente grupo de pessoas, fez Sua histórica Declaração pública de que Ele era o Manifestante Prometido de Deus, o Messias cujo “retorno” havia sido predito nos Livros Sagrados de todas as religiões do mundo e que Ele havia cumprido suas profecias. Proclamou que Ele era o retorno da “Imaculada Manifestação”, do Krishna prometido aos hindus; a volta do Espírito de Cristo aguardado pelos cristãos, o Senhor das Hostes prometido aos judeus; o Quinto Buda, o Buda da fraternidade universal, aguardado pelos budistas; o Shah Bahram, o grande Pacificador, prometido aos zoroastrianos; a segunda vinda de Cristo, o “Espírito de Deus”, o “Grande Anúncio”, aguardado pelos muçulmanos. Quando Bahá'u'lláh falou do “Retorno”, não Se referia ao retorno ao mesmo corpo físico ou personalidade, nem à reencarnação, mas sim a uma nova manifestação da mesma Divindade, a mesma Luz de Deus em uma nova Lâmpada. 

Prisão em 'Akká, onde Bahá'u'lláh permaneceu por seis anos

Bahá'u'lláh sofreu 40 anos de aprisionamento e exílio do Irã para Bagdá, depois Constantinopla e Adrianópolis, e por fim para a cidade-prisão de 'Akká, nas proximidades de Haifa. Ele faleceu em 1892, aos setenta e quatro anos, e foi sepultado na propriedade conhecida como Bahjí. Seu sepulcro é reconhecido pelos bahá'ís como o lugar mais sagrado na terra.

A mensagem central de Bahá'u'lláh para a humanidade neste Dia é a da unidade e da justiça. “A mais amada de todas as coisas, a Meu ver, é a justiça”, escreveu Ele, e “A terra é um só país, e os seres humanos seus cidadãos.”. Ele afirmou ainda que “O bem estar da humanidade, sua paz e segurança são inatingíveis a não ser que, e até que, sua unidade seja firmemente estabelecida”. Esta é a prescrição de Deus, o Divino, o Médico Todo-Conhecedor, para nosso mundo enfermo.

Bahá'u'lláh ensinou que todas as grandes religiões advém de uma mesma fonte divina. São partes de um único processo histórico que leva a humanidade de seu início até a civilização global que os bahá'ís acreditam ser inevitável no decorrer da vida humana.

Os escritos de Bahá'u'lláh lidam também com aspectos da moralidade na vida pesssoal, ressaltando a importância de cada indivíduo buscar a verdade por si mesmo, da confiabilidade e generosidade, de se buscar trazer felicidade aos demais, de evitar-se a fofoca, da castidade e diversos outras questões relacionadas com o bem-estar do indivíduo e da comunidade. Os bahá'ís buscam desenvolver essas e outras virtudes em seu cotidiano, levando vidas que transcendem esta existência material.

Para saber mais, clique aqui.