'Abdu'l-Bahá

A Fé Bahá'í / Origens / 'Abdu'l-Bahá

'Abdu'l-Bahá

(1844-1921)

Retrato de `Abdu'l-Bahá.

'Abdu'l-Bahá nasceu em Teerã em 23 de maio de 1844, exatamente no mesmo dia em que o Báb declarou Sua Missão. Seu nome civil era 'Abbás Effendi. Filho mais velho de Bahá'u'lláh, foi designado pelo pai como Seu legítimo sucessor e líder da comunidade bahá'í e o único intérprete autorizado de Seus escritos. Ficou conhecido pelos bahá'ís como o Centro do Convênio, e era carinhosamente chamado de Mestre.

Desde pequeno, 'Abdu'l-Bahá tinha muita proximidade com Seu Pai, e compartilhou com Ele o exílio e tribulações, permanecendo prisioneiro até 1908.

Durante os anos iniciais de Seu Ministério, 'Abdu'l-Bahá levou a Fé Bahá'í para o Egito, Europa e América do Norte. Em Suas viagens, Ele proferiu palestras diante de vastas audiências, compartilhando com elas os ensinamentos de Seu Pai. Já na virada do século vinte, uma comunidade de vários milhares de bahá'ís havia sido estabelecida na América do Norte. Alguns pequenos grupos também já haviam surgido na Europa. 

'Abdu'l-Bahá retornou a Haifa em 1913. No ano seguinte, com o início da Primeira Guerra Mundial, as comunicações com o mundo exterior foram interrompidas. Durante esses anos de guerra, 'Abdu'l-Bahá escreveu as Epístolas do Plano Divino, nas quais foram definidas instruções para a disseminação mundial da Fé Bahá'í. 

Saiba mais!

Navegue pelos links abaixo para conhecer mais sobre as origens da Fé Bahá'í.

Bahá'u'lláh

O Báb

'Abdu'l-Bahá

Shoghi Effendi e a Guardiania

A Casa Universal de Justiça e outras Instituições Bahá'ís

'Abdu'l-Bahá ocupa uma posição única na história da religião. Ao mesmo tempo em que era essencialmente humano, era ao mesmo tempo o Exemplo Perfeito dos ensinamentos bahá'ís e fora imbuído de conhecimento super-humano. 

'Abdu'l-Bahá significa 'Servo de Deus'. Quando perguntavam a Ele como ele se qualificava, esta era a resposta:

“Meu nome é 'Abdu'l-Bahá. Minha qualificação é 'Abdu'l-Bahá. Minha realidade é 'Abdu'l-Bahá. Meu louvor é 'Abdu'l-Bahá. Servitude à Abençoada Perfeição é meu glorioso e reluzente diadema, e servitude a toda a raça humana, minha religião perpétua... Nenhum nome, nenhum título, nenhuma menção, nenhum louvor tenho, nem jamais terei, a não ser 'Abdu'l-Bahá. Esse é meu anelo. Essa é minha aspiração suprema. Essa é minha vida eterna. Essa é minha glória imorredoura”.

Ele faleceu em 28 de novembro de 1921 em Haifa. Até os últimos dias de sua vida, viveu e trabalhou pelo estabelecimento dos princípios em que acreditava. 

Para saber mais, clique aqui.