Lugares Sagrados Bahá'ís

A Fé Bahá'í / A Religião / Templos e Lugares Sagrados / Lugares Sagrados Bahá'ís
title: 
Lugares Sagrados Bahá'ís

Mapa - Exílios de Bahá'u'lláhOs lugares sagrados bahá'ís localizam-se em regiões que marcaram a trajetória da Fé Bahá'í, desde a sua fundação na antiga Pérsia (atual Irã) em 1844, com a declaração da missão d'O Báb, passando pelos diversos exílios sofridos por Bahá'u'lláh e Sua família nos territórios dos impérios Persa e Otomano e, finalmente, na Terra Santa (hoje Israel), onde estão sepultadas as Figuras Centrais da religião.

Templos, monumentos e outras referências geográficas

Descubra os Templos Bahá'ís em cada um dos continentes acessando esta página

Saiba onde estão localizados os principais monumentos bahá'ís e outras referências geográficas bahá'ís no Brasil. Clique aqui!

É também na Terra Santa, mais precisamente na cidade de Haifa, Israel, que está localizado o Centro Mundial Bahá'í, sede de sua administração mundial. Seus edifícios administrativos foram construídos ao longo da encosta do Monte Carmelo em formato de arco, conforme designado por Bahá’u’lláh na Epístola do Carmelo. Os edifícios do Arco incluem a Casa Universal de Justiça, o Centro Internacional de Ensino, os Arquivos Internacionais e o Centro de Estudos de Textos Sagrados. No futuro, o projeto será concluído com a construção da Biblioteca Internacional Bahá’í.

Vista de alguns dos prédios do Arco, com o Santuário do Báb à direitaA terminologia “Arco” possui base simbólica. Além da disposição física dos edifícios, é uma metáfora relacionada à Arca de Noé e à Arca do Convênio das escrituras judaicas, cristãs e muçulmanas. O Arco bahá’í foi construído ao redor do Santuário do Báb, um dos Lugares Sagrados mais importantes para a Fé Bahá’í. Os restos mortais d'O Báb permaneceram escondidos durante décadas até que pudessem ser depositados no local designado por Bahá’u’lláh. A estrutura inicial foi posteriormente complementada com um suntuoso monumento conhecido como “a Rainha do Carmelo”. 

A cada ano, um crescente número de brasileiras e brasileiros realizam peregrinação até os Lugares Sagrados na Terra Santa. 'Abdu'l-Bahá dizia que "[o]s lugares sagrados são, sem dúvida, centros de efusão da graça Divina, já que ao entrar nos luminosos lugares relacionados com a memória dos mártires e almas santas, e ao reverenciá-los, tanto física como espiritualmente, nosso coração se comove enormemente".  

Acima, a Mansão de Bahjí e o Santuário de Bahá'u'lláh; abaixo, a Mansão de Mazra'íh (esq.) e o Jardim do Ridván.

Em Bahjí, a 30km da cidade de Haifa, repousam os restos mortais de Bahá’u’lláh. O local também é cercado por jardins simétricos. Para os bahá'ís, este é o local mais sagrado da Terra, ou Qiblíh, para onde deve voltar suas faces no momento das orações obrigatórias diárias. Para todas as demais orações, contudo, não se faz necessário estar volvido a este ponto focal, pois os ensinamentos bahá'ís ressaltam que "[p]ara onde quer que se volva, lá está a face de Deus."

Os Lugares Sagrados bahá’ís em Israel incluem ainda a mansão de Mazra’íh – onde Bahá’u’lláh permaneceu em prisão domiciliar entre 1877 e 1879 – e o Jardim do Ridván, um local de águas correntes no qual Bahá’u’lláh costumava contemplar a natureza à Sua volta, após deixar a cela em que foi confinado na cidade prisão de ‘Akká.

Os lugares sagrados bahá’ís receberam o título de “oitava maravilha do mundo” e, desde 2008, são considerados pela Unesco o primeiro local de patrimônio da humanidade ligado a uma tradição religiosa dos tempos modernos.

 

 

Conheça o Templo Bahá'í da América do Sul